Estudos


Jo 14, 15-21 NÃO VOS DEIXAREI ÓRFÃOS ( 02 a 15/06)

Jo 14, 15-21|  NÃO VOS DEIXAREI ÓRFÃOS

Objetivo

SER FILHO NA SANTÍSSIMA TRINDADE

Contextualização Na Suma Ceia e Paixão, em rumo à Ressurreição e volta ao Pai, Jesus nos garante o Paráclito, que permanecerá sempre conosco. Pois assim Cristo permanecerá em nós, para, nele e com ele, vivermos com o Pai. É nesta Trindade de Amor que assumimos, pelo Espírito e em Cristo, a identidade de sempre filho, sempre irmão, sempre vivo, sempre livre – sempre amor. Anunciemos a suprema Verdade da Trindade revelada por Cristo!

Entendimento da Palavra

“Não vos deixarei órfãos! ”

A Missão de Cristo, seu grande desejo, empenho e objetivo é nos levar à experiência de Filhos de seu Pai.

“Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo” (Gl 4,4-7). Cristo quer eliminar nossa orfandade – a insuportável separação do Pai – em que nos insere pecado e morte. Para isto o Filho se encarna, para isto se entrega, para crucifica-los no seu Corpo, na sua Cruz. Para isso, Cristo se fez Caminho e nos revela a Face de seu Pai. Para que vivamos nesta Verdade, Jesus “roga ao Pai por nós para que envie o Paráclito e este permaneça sempre conosco” (cf. v.16). Pois é pelo Espírito que Jesus e o Pai estão “junto a nós e dentro de nós” (cf. v.16 e 20). A condição para recebermos esta Vida da Trindade é que “observemos seus mandamentos” (cf. v.15): “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei! ” (Jo 13,34). E é pela resposta de amor que dermos a Cristo, “que nos amou e se entregou por mim” (Gl 2,4), que o “Pai nos amará e Cristo nos amará e se manifestará a nós” (cf. v.21). A comunhão no amor dada pelo Espírito Santo, este “nós” no amor da Trindade, impelem-nos a continuar a Missão de Cristo pela sua Igreja. Igreja enviada ao mundo – “que não conhece o Espírito” (cf.v.17) – para testemunhar a experiência de nossa verdadeira identidade:

Já não sois órfãos! Em Cristo, sois Filhos amados do Pai, que vos chama a viver para sempre na sua família de amor!

É, pois, pela ação do Paráclito na Igreja que o mundo poderá “ver, conhecer e receber o Espírito” (cf. v.17). Para cada um e todos, “em gemidos inexprimíveis” (cf. Rm 8,27), clamarem: Abba, Pai!, assim como clama o coração de Cristo. Assim, o mundo será liberto da orfandade. Cumpramos a missão misericordiosa da Trindade. Pois Cristo está entre nós pelo poder do Espírito, conforme prometeu:

“Voltarei para vós! ”

Contemplação

Uma demonstração, um efeito da efusão do Espírito numa pessoa e na comunidade é cada um sentir-se profundamente acolhido – de forma incondicional – como Filho amado do Pai.

Pois é desta verdade vivida que decorre uma genuína e misericordiosa fraternidade, uma autêntica e alegre celebração eucarística e uma entusiasmada missão.

Partilhem como isto tem acontecido e evoluído na sua Célula, na paróquia, na família.

Oração

Vem, Espírito Santo e nos inunde com a verdadeira alegria!

Vem, Espírito Santo e derrame seus dons sobre nós para sermos uma comunidade unida à Santíssima Trindade!

Vem, Espírito Santo e nos dê força para crescermos como cristãos verdadeiros!

Os comentários estão desativados.